Resenha: A Garota Sem Passado de Michael Kardos

Título: A Garota Sem Passado
Autor: Michael Kardos
Gênero: Suspense
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Compare preços
Classificação: 3,5 de 5

Sinopse: Num domingo de setembro de 1991, Ramsey Miller deu uma festa em casa para os vizinhos. Depois, assassinou a esposa e a filha de 3 anos. Todo mundo na pacata cidade de Silver Bay conhece a história. Só que todos estão errados. A menina escapou. Sob o nome falso de Melanie Denison, ela passou os últimos quinze anos escondida com os tios numa cidadezinha remota. Nunca pôde viajar, ir a uma festa na escola ou ter internet em casa, porque Ramsey jamais foi encontrado e poderia ir atrás dela a qualquer momento. Mas, apesar das rígidas regras de segurança impostas pelos tios, Melanie se envolve com um jovem professor da escola local e engravida. Ela decide que seu filho não terá a mesma vida clandestina que ela e, para isso, volta a Silver Bay para fazer o que nem os investigadores locais, nem a polícia federal, nem o FBI conseguiram: encontrar seu pai antes que ele a encontre.

Melanie sabe bem as regras. Não ir a festas, não usar a internet, não viajar. Não deixar-se fotografar em hipótese alguma, não se envolver com ninguém. Tudo é perigoso, seus tios lhe disseram, desde muito cedo. E o motivo, é claro, ela também sabe muito bem: Seu pai, Rancey Miller, que tentou matá-la quando ela tinha apenas três anos, que matou  sua mãe, ainda está a solta. Uma festa misteriosa que terminou em um assassinato terrível. A partir daí, Meg tornou-se Melanie, foi morar com os tios em uma cidadezinha pacata e, o mais importante, aprendeu a passar despercebida.

No entanto, conforme cresce, Melanie percebe algumas dessas certezas se deslocando aos poucos. Após quebrar algumas regras, Melanie conhece um rapaz, apaixona-se e engravida. Então decide sair para buscar respostas por conta própria. Ela quer encontrar o pai. Ou apenas paz.

“Então ela ficou. E não ligou para ninguém. Dormiu na cama aconchegante de Phillip e, no sábado de manhã, acordou ao lado dele com o quarto ainda escuro, ao som da algazarra dos pássaros.”

Gostei muito da premissa desse livro, e do título, aliás. A história é narrada em terceira pessoa, alternando passado e presente, o que é sempre válido nesse tipo de trama. Os capítulos, divididos entre Melanie e o pai,  não são longos e terminam em momentos estratégicos, aumentando a curiosidade e a vontade de continuar a leitura. Nesse sentido foi tudo otimamente conduzido. A linguagem é simples e fluida, muito bem escrita. No entanto, às vezes falta ação, ou algo mais. O ritmo fica meio lento.

“Pouco a pouco ele foi sentindo a respiração acalmar, os músculos relaxarem, tal como vinha acontecendo naqueles últimos meses sempre que estava na estrada. Quando se encontrava ao volante, todos os problemas do mundo deixavam de existir, e em seu lugar restava apenas o som de um motor bem regulado e o chiado reconfortante dos pneus sobre o asfalto quente.”

As atitudes de Melanie me irritaram muito em certos momentos, mas no geral ela é uma personagem equilibrada, se levarmos em consideração a realidade em que vive. Gostei bastante de alguns outros personagens secundários. Achei o final um pouco previsível, já que consegui imaginar boa parte do que aconteceu e achei que isso ficou meio subentendido. Mesmo assim tive uma surpresa ou outra. Preciso me segurar para não falar o que não devo, mas teve um detalhe que gostei bastante, bem diferente e que eu não tinha visto ser explorado ainda em um livro.

“Mas o que tinha pela frente não era um passeio ou uma aventura. Volta e meia ela precisava lembrar a si mesma que seu destino era o mesmo lugar em que seu pai havia matado sua mãe e a jogara numa fogueira.”

No geral é um ótimo livro, envolvente e interessante, embora eu tenha me decepcionado um pouco. Acabei achando tudo um tanto quanto morno demais para o que esperei. Mesmo assim indico a leitura a todos os fãs de suspense e um drama de leve, acho que dá para considerar como Thriller psicológico, também. Boas horas garantidas na companhia desse livro. Me envolvi profundamente com as personagens e essa história trágica, mas bela, de certa forma.

* Descrição da capa: uma silhueta de uma garota, caminhando no que parece ser uma estrada e sem rumo. Está escuro e por isso não é possível ver nenhuma característica física dela. De um lado da estrada há mato e do outro parece haver uma rampa com postes de luz acima. Há contraste entre a metade de baixo da capa que é escura com a de cima que mostra um céu azul, quase escurecendo e ao mesmo tempo alaranjado, como se o sol estivesse se pondo no horizonte a frente. O título, escrito em branco, ganha destaque na palavra Passado, que é escrita em letras enormes. E há uma frase que diz "Sua família e sua liberdade foram roubadas. Mas ela não deixará que ninguém leve o seu futuro."

* A descrição da capa é um recurso (que já faz um tempo que não utilizamos - peço desculpa por isso), que nossa colunista Ana pediu para fazermos sempre que possível para que pessoas cegas ou com alguma dificuldade visual possam ter uma noção de como são as capas dos livros que resenhamos no blog, já que utilizam um recurso de áudio para "ler" nossas resenhas.



2 comentários:

  1. Gostei demais da resenha, vi a sinopse em algum lugar e já tinha me chamado atenção. Com certeza lerei quando tiver a oportunidade.

    P.S.: Não sei se já comentei aqui, mas sou deficiente visual e adoro as descrições das capas! Muito obrigada!!! :)

    ResponderExcluir
  2. Eu to curioso demais para ler esse livro. Acho que esse ano ficarei falido de tanto livro que eu quero ler. Parece que a cada resenha que eu leio de um livro diferente faz com que eu me apaixone por ele sem mesmo ler ou até mesmo se a resenha fala mal. "A garota sem passado" parece ser exatamente o tipo de livro que eu estou procurando. Adorei o seu blog, já está nos meus favoritos.

    Meu Blog: www.umcontainer.com

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails