Bienal Rio 2017: o que eu trouxe pra casa!

Oi pessoal! Já falei um pouco sobre os destaques e decepções da Bienal Rio 2017 e agora vou mostrar um pouquinho do que comprei e ganhei lá.


A verdade é que fui pra Bienal com a intenção de não comprar nada, pois duas semanas antes (enquanto eu ainda estava fora do Brasil) eu havia comprado 9 livros na Amazon, na promoção que teve no site com frete grátis e também 1 livro no submarino com a promoção em que alguns estavam saindo por 10 reais (vou mostrar essas comprinhas em outra postagem depois). Fora 3 livros da Colleen Hoover que eu comprei quando passei por Nova York no final da viagem. Ou seja, eu já havia comprado 13 livros e não pretendia gastar mais nada da Bienal. Acabei saindo de lá com 4 livros.


Um Encontro de Sombras da V.E. Schwab. Esse eu fui "obrigada" a comprar para conseguir o autógrafo da autora, tanto nesse, como nos outros dois livros que tenho dela. Mas felizmente o livro estava com um preço bacana no estande da editora. Na pré-venda ele estava R$ 39,90, na Bienal ele estava por R$ 30 inicialmente, mas a Record baixou mais os preços dos livros ao longo dos dias e o livro saiu por R$ 26.

Os destaques e decepções da Bienal do Livro Rio 2017


Olá pessoal, como estão? Não sei se todos sabem, mas eu fiquei afastada do blog por quase 3 meses pois estava fora do Brasil fazendo intercâmbio, mas agora estou de volta e é claro que não poderia deixar de ir na Bienal do Livro aqui no Rio. Fui 4 dias e resolvi fazer duas postagens sobre o evento aqui no blog.

Hoje vou falar um pouquinho sobre minhas escolhas dos destaques e decepções da Bienal esse ano e vou explicar o motivo. Na próxima postagem vou mostrar o que comprei, ganhei, fotos e mais outras coisinhas. (PS: quero fazer um sorteio pra vcs com marcadores que consegui lá, será que vocês querem?)

PS: Quero enfatizar que, mesmo com algumas decepções, a Bienal esse ano foi uma das melhores em vários sentidos!


Os destaques da Bienal do Livro 2017 (sem ordem específica)

Resenha: Medo de Palhaço de Marcelo Milici

Título: Medo de Palhaço
Autor: Marcelo Milici
Gênero: Almanaque
Editora: Generale
Páginas: 288
Ano: 2016

Compre
Classificação: 4/5 

Sinopse: Em sua primeira obra, a equipe do Boca do Inferno procura os arrepios por sob as gargalhadas ao adentrar neste aflitivo picadeiro desde os primórdios do circo, buscando explicações na história e na psicologia. Os autores instigam pesadelos em tons rubros ao contar sobre os assustadores carnavalescos bate-bolas, o mito dos palhaços ladrões de órgãos e John Wayne Gacy, o verdadeiro palhaço assassino. Ao todo são mais de cento e cinquenta obras analisadas, entre filmes, séries de TV, desenhos animados, livros e quadrinhos, explorando o medo de palhaços na cultura pop.

Senhoras e senhores, respeitável público! Alô, Alô, criançada! O circo chegou e com ele o nosso palhaço. Quem tem medo de palhaço? Ok, pronto! Não resisti a fazer brincadeira na introdução. Agora falando sério, fobia de palhaço existe, assim como medo de aranha, altura, lugares fechados, entre outras coisas, e é denominada cientificamente de coulrofobia. 

4 livros com histórias reais para quem ama cães e gatos

Eu sou daquelas pessoas que não pode ver um cachorro ou gato em qualquer lugar que já quer pegar no colo, fazer carinho e, se possível, levar pra casa e não largar nunca mais. Desde o clássico Marley & Eu até o mais recente Quatro Vidas de um Cachorro (que preciso ler, inclusive), são muitas as histórias com protagonistas felinos ou caninos. Eu acho que deveria ser bem mais, claro.  Enfim, para os loucos por gatos e cães, assim como eu, estes livros são uma ótima oportunidade de unir dois grandes amores e passar momentos divertidos e emocionantes na companhia desses lindos de quatro patas e de alguma bebida quente nesse friozinho. Ou quem sabe você tenha um amigo peludo para ficar nos seus pés ronronando ou no seu colo balançando o rabo até você parar de ler e ir brincar e dar carinho. Vamos às minhas indicações, ressaltando novamente que são histórias reais.




1. Dewey - Um gato entre livros - Vicki Myrom
Esta é a história real de um gatinho que foi abandonado em uma biblioteca e sobreviveu às noites frias de Yowa até ser adotado pela bibliotecária Vicki Myrom, batizado como Dewey e ganhado um lar entre os livros e os leitores. Mas dewey foi além, tornou-se o mascote de Spencer, atraíndo turistas e movimentando a pacata cidadezinha. Eu me apaixonei por esse livro. É uma leitura tranquila, cheia de emoções, sim, mas obviamente sem grandes aventuras. É lindo como o Dewey chegou, entrou na vida de tantas pessoas e mudou o pensamento de uma cidade inteira com seu amor. Dewey conquistou as pessoas mais difíceis, fez muita gente sorrir, deu e recebeu muito carinho. No livro fica claro como ele literalmente mudou a vida de algumas pessoas, principalmente a da própria Vicki.  A biografia do felino vai se mesclando com a própria história de Vicki e da cidade. Recomendo muito para quem ama gatos. É uma daquelas histórias gostosas, preguiçosas e quentinhas. Foi lançado mais um livro, as 9 vidas de Dewey, que conta histórias de outros gatos e alguns episódios inéditos do gatinho que colocou Spencer no mapa. Também já li e acho bem legal.

Resenha: Cenas Londrinas de Virgina Woolf

Título: Cenas Londrinas
Autor: Virgina Woolf
Gênero: Ensaio 
Editora: José Olympio
Páginas: 96
Ano: 2017

Compre
Classificação: 3/5 

Sinopse: Um retrato da década de 1930 em Londres — e uma aula sobre como explorar a consciência da modernidade. Cenas londrinas compila seis crônicas nas quais Virginia Woolf confirma sua paixão por sua cidade natal. Virginia faz um retrato da década de 1930 ao observar o encanto da moderna Londres. Ao se deslocar para a perspectiva tanto de grandes homens quanto de cidadãos comuns, a autora oferece uma visão original, clara e atraente do movimento orgânico das ruas. Inicialmente publicado com cinco narrativas – produzidas entre 1931 e 1932 –, a este volume se soma a crônica descoberta na biblioteca da Universidade de Sussex, em 2005. É como se Virginia estivesse conduzindo o leitor por um passeio, começa nas docas de Londres, depois migra para o tumultuado comércio ambulante da Oxford Street, prossegue com um curioso giro por endereços de grandes homens – em busca de escritores ilustres. Há a contemplação das catedrais de St. Paul e de Westminster, e a visita à casa de Keats, em Hampstead. Por fim, o olhar se fixa na figura típica da mulher de classe média inglesa, para Ivo Barroso, “a visão de um microcosmo representativo de toda uma nacionalidade”

Olá, pessoal! Tudo tranquilo? Hoje vou falar de Cenas Londrinas da Virgina Woolf. Eu sempre tive interesse em conhecer o trabalho dessa grande autora. Ela é uma das mais importantes escritoras inglesas e um dos pilares do modernismo. 

Cenas Londrinas é um livro de ensaios que retratam o cotidiano de Londres, desde a vida portuária à politica praticada dentro da câmara dos Lordes. Por ser uma análise da cidade com a narradora descrevendo o que vê, com exceção do ultimo texto, temos uma linguagem mais fria com ênfase na descrição.

Related Posts with Thumbnails