Livros Diferentes x Zona de Conforto

Oi pessoal, tudo tranquilo? Primeiro, escrevo esse post sem saber se Andresa vai aprovar (Haha). Segundo, gostaria de agradecer pelos comentários nas minhas resenhas. Receber esse feedback de vocês é importante para saber se o livro resenhado entrou em alguma lista de leitura ou se pelo menos chamou a atenção de alguém. 

Sem mais delongas, vamos ao texto.


Parei para pensar nessa semana e me surgiu a seguinte questão: Por que eu leio? Fácil de responder, não é?! Eu leio porque é uma forma de relaxar, espairecer, refletir, indagar, entre outros verbos sinônimos dos que citei. Ninguém começa gostando de ler. Alguns tomam gosto logo, outros demoram. A construção do leitor ávido acontece aos poucos, como um muro que é levantado tijolo por tijolo, mas no nosso caso, livro por livro. Esse processo, de forma gradativa, vai formando o nosso gosto literário, definindo nossos os escritores e gêneros preferidos.

Após a primeira pergunta surgiu outra: Será que eu entrei na minha zona de conforto literária? Essa eu acredito que seja mais difícil de aceitar e admitir. Zona de conforto? Explico! A leitura, no meu caso, sempre foi uma questão de desafio. Quero me sentir desafiado pelo livro que leio. Então, tenho pavor de está lendo no automático. Ler por ler. Sem reflexão ou absorção de algo daquele texto. Também me assusta ficar preso a um estilo de autor e livro e desistir de outros por causa dessa acomodação. 

Dito isso, fui olhar o meu skoob. Ele até que está bem atualizado (pelo menos a partir de 2010). Fiz isso no intuito de mensurar quantos escritores novos/diferentes impactam nas minhas leituras. O resultado me surpreendeu. Quase metade das minhas leituras anuais são de autores novos. Claro, há anos que eu dou mais importância a continuações ou livros de um autor que eu gosto. E isso não é problema, temos que ler aquilo que gostamos.

Mas se eu fosse apenas ficar na minha zona de conforto eu só leria Asimov, Clarke, Cornwell, GGM e Stephen King. Entretanto, por causa dessa minha vontade de querer descobrir livros diferentes, com dinâmicas e ideias opostas àquelas a que estou acostumado me fez descobrir e gostar de: Murakami, Dickens, Kundera, Philip Roth, Vargas Llosa, entre outros. 

O objetivo desse post é mostrar que vale a pena sair do lugar comum e ler algo que não seja do seu gosto atual, até para fortalecer o seu gosto ou descobrir vertentes inexploradas da literatura. Bem, tudo que está escrito aqui são percepções minhas e achei válido dividir com vocês. 

Agora, respondam aí nos comentários: Qual seu gênero preferido? Autor preferido? Concorda ou discorda de mim? Comenta aí embaixo. Quero ler a opinião de vocês.

PS1: Um dia desses conversando com a Lili, ela me fez perceber que eu nunca li nada da Jane Austen. Não é o tipo de leitura que estou acostumado ou prefiro, mas na hora percebi a oportunidade de conhecer um estilo novo, seja para gostar ou não. Coloquei a Sra. Austen na minha lista de livros que tenho que ler.

PS2: Post puxando sardinha pro meu lado que resenho livros diferentes hahahahaha. 

PS3: Se você chegou até aqui, esse texto passou pelo crivo da Andresa o/. 

No mais, até o próximo post. 


18 comentários:

  1. O meu gênero preferido é romance, mas sempre estou procurando ler livros diferentes e conhecer novos autores, interessante o seu post :)
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, obrigado. Eu gosto bastante quando descubro um escritor diferente que é ótimo.

      Abraço

      Excluir
  2. Meu gênero preferido e ação e romance, mas também gosto de outros gêneros se o livro for bem escrito.Minha autora preferida e kiera cass e concordo plemanamente que devemos sempre procurar livros novas com autores diferentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, concordo quanto ao bem escrito. Nunca li nada Kiera Cass.

      Abraço

      Excluir
  3. Adorei o post!
    Eu posso assumir que sou uma leitora assídua de livros que estão além da minha zona de conforto e, com isso, tive a alegria de conhecer autores maravilhosos! Eu lia apenas obras que se enquadravam ao meu estilo literário favorito, até que me tornei blogueira e tive a oportunidade de conhecer outros gêneros, outras editoras, outros autores. Foi incrível descobrir como posso gostar de obras tão distintas uma à outra! Sim, sou uma romântica incurável – e, sim, aprecio clichês dramáticos –, mas foi preciso apenas me dedicar a ler outro gênero para que notasse o quanto perdi por me limitar. Há o que realmente não gosto, mas nem por isso deixo a oportunidade de ler um livro passar. Sou capaz de encontrar todas as boas qualidades que um livro traz… E mesmo quando as qualidades são menores do que as fragilidades, nunca me arrependo de me dedicar a ler determinada obra. Se há uma experiência que jamais se tornará um desperdício é, definitivamente, a leitura.

    Parabéns pela matéria!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, obrigado pelo comentário. Eu concordo que a experiência da leitura não é um desperdício.E é bom sempre inovar na lista de leituras do ano.

      Abraço

      Excluir
  4. Me perguntei sobre isso um tempo atrás, sobre ficar na zona de conforto. Tento sempre variar gêneros literários, alternando pra não cair na rotina e tal.
    Mas conheço muita gente que não lê determinado tipo e ponto. Por exemplo, pessoas que leem romances mas nunca deram chance a ação. Ou pessoas que leem não-ficção e se recusam a dar uma chance pra fantasia. Acho que além de ser uma questão de zona de conforto há muito estereótipo do tipo de leitor que a pessoa acha que é (ou virará) se ler tal gênero.
    Ótimo post.
    bjinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, obrigado. Há casos também em que os estereótipos influenciam na escolha de um livro, gênero, autor. Existe também o caso do status quo, se eu ler tal obra vou me rebaixar. Enfim, muita frescura e mimimi. Haha

      Abraço

      Excluir
  5. Rafa, seu querido, que texto bacana! Espero tê-lo inspirado (um tiquinho) com nossas intermináveis conversas sobre gostos literários...
    Eu sou suspeita (culpada!), quando refere-se a desafios. Comecei a ler muito criança, e já passei por muitas "fases literárias" (obrigada universo!), com isso já me desafiei e continuo a me desafiar todos os dias. Eu amo isso. Amo também, amizades literárias, indicações (coisa mais linda!). E me entristece quando ouço/leio frases do tipo:' não faz meu estilo'. Prefiro as frases: 'não estou habituada, mas vou tentar'.
    Então queridos leitores: saiam da sua zona de conforto e permitam que a mágica aconteça!
    Beijos, Rafa! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lili. Você me desafiou a ler @mor e eu te desafiei a ler Crônicas Marcianas. No fim, @mor foi um livro interessante e muito fora da minha zona de conforto. Falta Jane Austen. É super válido tentar fugir do lugar comum.

      Abraço o/

      Excluir
  6. Meu gênero preferido é aventura e romance, autor preferido acho que não tenho um.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito do texto e realmente tem horas que penso que entrei na minha zona de conforto srsrsr, mais ultimamente tenho quebrando algumas mistificações e tenho lido algumas temática que nunca pensei que leria , mais que realmente me surpreenderam , ainda estou tentando a me habituar e vejo que não é mais um desafio e sim a oportunidade de conhecer um estilo novo e um sentimento único de dever cumprido. ^.~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entro muito na minha zona de conforto quando estou de ressaca literária. Mas no resto gosto de variar bastante.

      Abraço

      Excluir
  8. amei esse texto, tenho certeza que todo leitor faz essa mesma pergunta pra si mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, obrigado. Eu parti desse pressuposto.

      abraço

      Excluir
  9. amei o texto, acho que todo leitor faz essa mesma pergunta pra si mesmo.

    ResponderExcluir
  10. Achei massa esse post, Rafael!
    Confesso que, geralmente não saio muito da minha zona de conforto, mas já fiz algumas excursões por aí. Já li Jane Austen, e essa foi uma dessas "fugidas". Gostei do que li, mas ficou longe de ser uma leitura maravilhosa. Me considero um cara bem eclético, em relação a leitura. Gosto de sobrenatural, suspense, terror/horror, policial, chick lit, ficção científica, fantasia, magia, e por aí vai. Os gêneros que não gosto muito são dramas, os romances mais dramáticos/melosos, (auto)biografias e auto-ajuda. Mas, nem por isso deixo de ler algum desses. Só preciso estar com saco para lê-los. Já os autores, Stephen King, J. K. Rowling, Suzanne Collins, John Green, Agatha Chistie e Shakespeare estão entre meus favoritos.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails