Resenha: Fiquei com o seu Número de Sophie Kinsella


Título: Fiquei com o seu Número
Autora: Sophie Kinsella
Editora: Record
ISBN: 9788501098634
Ano: 2012
Páginas: 462

Sinopse: A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.


[...] Estou noiva! Eu, Poppy Waytt. De um palestrante universitário alto e bonito que escreveu um livro e até apareceu na TV. Apenas seis meses atrás minha vida amorosa era desastrosa. Nada significativo havia acontecido durante um ano e eu estava relutantemente decidindo que deveria dar uma segunda chance ao cara com mau hálito do site de relacionamentos...E agora só faltam dez dias para meu casamento! [Pág. 11]

Fiquei com o seu número é um chick-lit que conta a história de Poppy Wyatt. Ela está prestes a se casar com Magnus, o homem dos sonhos, mas depois de se reunir com suas amigas para uma despedida de solteira perde o anel de noivado que está na família dele há gerações e para completar seu celular (que é sua vida) é roubado, deixando-a mais desesperada ainda, afinal ela deixou seu número para contato no hotel onde foi sua despedida para que caso alguém o encontrasse, ligasse urgentemente para ela.
Começo a tremer toda. Nunca me senti tão desolada e com tanto pânico. O que vai ser de mim sem o meu celular? Como vou viver? Minhas mãos ficam procurando automaticamente o aparelho no lugar em que costumo coloca-lo no bolso. Meu instinto é mandar uma mensagem de texto para alguém dizendo: “Ai, meu Deus, perdi meu celular!” Mas como posso fazer isso sem um maldito celular? [Pág. 18] 
Enquanto procura em todos os lugares possíveis e impossíveis, ela acaba encontrando um celular no lixo e toma posse dele ao invés de tentar devolver a seu dono. Quando ela se dá conta, descobre que o celular é da assistente de um executivo, Sam Roxton, e ele exige que ela devolva o celular que é de sua empresa. Mas ela o convence e eles fazem um acordo em que ela encaminhará todas as mensagens e e-mails que receber para ele imediatamente.

Ela começa a bisbilhotar o tanto de mensagem que o celular da ex-assistente recebe e aos poucos a se meter com os assuntos de trabalho de Sam. E assim, sem querer, acabam começando um relacionamento (não amoroso, apenas um relacionamento) através de mensagens de texto.

Poppy nunca se sentiu a vontade com a família de seu noivo, onde todos são escritores e gênios e ela se sente super mal perto deles não entendendo metade do que falam, e como se não fosse o bastante eles a deixam sem graça diante de várias situações constrangedoras.
Quero dizer, é claro que amo Magnus e tal. Mas estou aqui há cinco minutos e estou tendo um ataque de nervos. Como vou sobreviver o natal todos os anos? E se nossos filhos forem todos superinteligentes e eu não conseguir entender o que eles estão dizendo e eles me desprezarem porque não tenho doutorado? [Pág. 95] 
Ela é uma mulher um pouco atrapalhada, adora seu trabalho como fisioterapeuta, é gentil, bobinha, adora fugir dos problemas ao invés de encará-los e como puderam perceber completamente bisbilhoteira e intrometida, afinal ela não consegue se controlar a não ver as mensagens que vivem chegando para Sam. 
É muito fácil mandar e-mails mais do que monossilábicos. E-mails curtos podem ser bastante eficientes. Podem passar a mensagem para o trabalho ser feito. Mas assim ninguém gosta de você. [Pág. 150] 
Sam parece ser um cara frio, arrogante, que não costuma responder os e-mails de praticamente ninguém e quando os responde, são curtos,  algo que Poppy reclama que ele sempre faz (se metendo mais uma vez na vida dele). E é exatamente por isso que ela começa a responder e-mails como se fosse Sam, achando que iria ajudar, mas acaba colocando-o em confusão atrás de confusão com os colegas de trabalho.

Poppy acaba se envolvendo com um problema no trabalho de Sam e o ajuda. Aos poucos os dois vão ficando mais próximos e os sentimentos vão ficando confusos em relação ao outro, afinal ela está a poucos dias de se casar com “o homem de sua vida” e Sam aparentemente tem uma noiva louca chamada Willow. No fim eles terão que encarar alguns problemas pessoais e terão que decidir qual será o futuro desse “relacionamento” em que se encontram.
- Quando você leu minhas mensagens, viu um ser curto, grosso e infeliz. E me disse isso. Talvez você esteja certa. Mas sabe o que eu vi quando li as suas?
- Não. E não quero saber.
- Vi uma garota que vive correndo para ajudar os outros mas não se ajuda. E agora mesmo você precisa se ajudar. Ninguém deveria subir ao altar se sentindo inferior, nem num nível diferente, nem tentando ser uma coisa que não é. [Pág. 237]
 
É o primeiro livro que leio da autora e já me encantei. A escrita é tão boa que não importa a quantia de páginas, você lê sem parar e foi assim que aconteceu comigo. O problema é que quando estava chegando ao fim eu comecei a ficar triste por estar acabando, e isso quer dizer que eu amei o livro e é claro, se tornou favorito. A história é leve e divertida.

Com o passar das páginas ela vai descobrindo que seu futuro marido não é exatamente o que ela pensava e as situações constrangedoras com sua família também não. Suas melhores amigas, Ruby e Annalise aparecem de vez em quando e eu não gostei de Annalise que demonstra que queria estar no lugar dela o tempo todo se casando com Magnus.

Às vezes eu queria sacudir Poppy e a fazer tentar enxergar o que estava na frente de seu nariz, ela é tão bobinha que me dava nos nervos de vez em quando, mas é tão humana que poderia se parecer com muitas mulheres reais. Sam não é o cara arrogante que parece e me encantei por ele desde o inicio, mesmo quando ele parecia ser frio. Os dois tem uma história muito divertida e eu ri tantas vezes que perdi a conta. O livro tem quase 500 páginas, mas você nem percebe porque a leitura flui tão bem e você se envolve tanto na história que quando vai ver está acabando!

O livro se tornou favorito e não poderia ganhar menos que 5 corações! A capa é linda, o enredo ótimo, narrativa gostosa e a diversão é garantida! Super recomendado!!!!!



12 comentários:

  1. Então... Aqui venho eu, ler minha primeira resenha desse livro e o que posso falar? ESTOU LOUCA PARA LÊ-LO. Não falo porque sou uma fã louca por chick-lit (o que eu realmente não sou), mas porque parece ser... Sei lá, como uma comédia romântica? E eu amo isso... Sua resenha me seduziu totalmente, tanto que na minha próxima compra, vejo se compro esse livro.

    Beijos,

    Vitória

    Shake Your World

    ResponderExcluir
  2. Essa Poppy é bem doidinha, rsrs.


    Já li algumas resenhas e o pessoal está gostando mesmo.


    Fiquei bem curiosa e pretendo lê-lo. Parece ser uma leitura bem leve e divertida.


    Bjo.

    ResponderExcluir
  3. me apaixonei por esse livro desde a primeira resenha q li,ele esta na minha lista de favoritos ha um tempão!!! =]

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo está amando este livro!! E aparentemente todos estão corretos.
    Achei a história incrivelmente fofa e divertida. Parece ter um enredo legal e uma narrativa acima da média. Além disto, tem personagens cativantes. Ou seja, tudo que um livro precisa para ser bom!
    Espero ler a obra um dia desses.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Sophie Kinsella é uma autora que me dá uma leitura super divertida ela consegue me fazer rir muito em seus livros. Esse tem sido tão comentado que deve ser tão bom quanto os já lançados por ela. Poppy parece ser aquela personagem que a gente acaba amando.

    ResponderExcluir
  6. Também nunca li um livro da Sophia, mas cada vez mais me convenço de que estou perdendo a oportunidade de conhecer uma excelente autora. Adorei sua resenha pois ela chama a atenção para as personagens principais e ainda aguça nossa curiosidade! Adoro livros divertidos !!! Entrou pra listinha!
    Beijos,
    Nica

    ResponderExcluir
  7. *u* quero muito ler esse livro, um dia desses quase comprei, mas acabei ficando com zumbis x unicornios

    ResponderExcluir
  8. Não sou exatamente fã de Chick Lit, mas gostei desse livro. Parece divertido e interessante, uma leitura leve, ótima pra quando você está em ressaca literária.
    Me identifiquei profundamente com o "atrapalhamento" da Poppy. Vivo perdendo tudo..rsrs


    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  9. Gosto muito desse gênero, e sei que a Sophie Kinsella é uma expert nesse assunto. Esses livros são muito leves e divertidos, e são ideias pra uma tarde de leitura bem agradável. Pretendo ler em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  10. Amo os livros da Sophie
    Kinsella e desde que soube do lançamento desse, ele já entrou para a lista dos desejados.

    Infelizmente ainda não consegui comprar mais cada vez que ele entra para a lista de favoritos de alguém e leio uma resenha tão boa como a sua a minha vontade de ter ele na minha estante aumenta.

    bjs

    Tais

    http://www.leitorafashion.com.br

    ResponderExcluir
  11. Amanda Naira arrais24 de novembro de 2012 14:15

    chick-lit, gostei bastante da resenha, já ouvi falar muito bem do livro, quero muito ler, mas tô sem R$.. então preciso de sorte nas promos..

    ResponderExcluir
  12. Eu quero muito esse livro *---*

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails